Bruna Marquezine e o Setembro Amarelo

 

Nos últimos dias o stories da Bruna Marquezine gerou grande repercussão pela seguinte situação: Ela postou uma foto e vários seguidores comentaram que ela estava muito magra, questionando inclusive se não estava com Anorexia.

 

Outros seguidores também escreveram que se ela continuasse assim, logo logo o Neymar iria largá-la. Ainda escreveram que homem gosta de carne.

Em Veneza, ela estava chateadíssima, fez vários stories dizendo que estava bem de saúde e que estava feliz, que estava tudo bem. E pediu que as pessoas não comentassem sobre o corpo dela e que se as pessoas não tem comentários construtivos para fazer, que não façam. Que hoje ela está bem mas que já teve transtorno de imagem, justificando que alguém disse a ela que o quadril era muito largo e que estava bochechuda. E que a partir disso adoeceu, resolveu emagrecer, usou lacto purga (um tipo de laxante). A família viu que ela estava precisando de ajuda e levou ela para apoio psicológico.

Bruna disse que depois disso ficou tudo bem e que ela resolveu emagrecer para a Catarina, papel de sua última personagem. Os seguidores fizeram críticas ao storie, dizendo que ela é uma figura pública e que esperava o que? Que fosse aplaudida, que aí tudo bem. E ela ainda retrucou que não, que só estava pedindo empatia e que as pessoas parem de fazer comentários sobre o corpo, cabelo, roupa, o que quer que seja do outro. Não gosta? Não fala, não comenta.

Eis que estamos em setembro amarelo. Mês de Prevenção ao Suicídio. Dizer que alguém adoece por ter recebido um comentário em rede social não é verdadeiro. Sim, pode ser o gatilho. Mas se a pessoa tiver estrutura emocional para lidar com a situação, ela não vai adoecer.

Chester Bennington, ex-vocalista da banda Linkin Park tirou sua própria vida. Com um histórico difícil, ele tinha história de abuso sexual, divórcio dos pais, bullying na escola por ser magro demais, uso e abuso de álcool e drogas e histórico de depressão. Ele não tirou sua vida por todas essas questões. Ele tirou porque não teve saúde mental suficiente para lidar com tudo isso. E vai ficar muito difícil se a nossa saúde mental depender do fim do bullying ou do não comentário das outras pessoas quando emagrecemos ou engordamos. Não dá pra mudar o mundo, mas da pra mudar a visão que temos sobre o que nos acontece. E dá pra ter muita saúde mental fazendo terapia. Buscar ajuda é sinal de coragem, não de fraqueza! A sua saúde mental é o seu bem mais precioso. Invista em você. Se cuide com carinho. Com amor. Calma e paciência. As mudanças não acontecem de imediato, elas levam tempo. Ás vezes temos lapsos ou recaídas mas levantar é possível. E se cair de novo a gente sabe como levantar. E se não sabe aprende. E levanta quantas vezes forem necessárias! Por que como disse Paola Altheia “ A vida não é colorida. A vida é colorir”.