Contato

Telefone: (51) 98405.4552

Email: alimentas@alimentas.com.br

Av. Ipiranga, 7464 sala 1124
Bairro Jardim Botânico | CEP 91530-000 | Porto Alegre | RS


Trabalhe conosco

Cadastro de currículos

Processo seletivo de Estágio Alimentas Ideias Nutritivas 2022/01
A Alimentas Ideias Nutritivas está com vaga aberta para estagiária de Nutrição.

CARGA HORÁRIA
20h semanais.

REQUISITOS
Disponibilidade para ficar pelo menos 1 ano e meio.

ATIVIDADES
As atividades do estágio incluem atendimento na área do comportamento alimentar, criação
de e-books educativos dentro das áreas da Nutrição e da Psicologia, planejamento de conteúdo
para rede social e pesquisa. A estagiária deve ter disponibilidade para participar do Grupo de
Estudos nas sextas-feiras das 14h às 15h e reunião das 15h às 16h.

BOLSA
O estágio prevê concessão de bolsa de R$ 400,00 reais mensais.

LOCAL
Em função da rápida transmissão do coronavírus, o estágio será realizado de forma online, via
Google Meet.

CRONOGRAMA

Data/Atividade
30/09/2021 – Prazo de recebimento de currículos (cadastro no site)
24/10/2021 – Segunda etapa 

ATIVIDADE

Gravar um vídeo de no máximo 2 minutos, se apresentando e justificando porque gostaria de estagiar na Alimentas. Escolher uma das referências citadas abaixo e explicar porque esse conhecimento é importante para trabalhar com o comportamento alimentar (máximo 2 páginas). Enviar o video e a escolha da referência com a explicação para o e-mail alimentasideiasnutritivas2@gmail.com até às 23h59 do dia 24/10/2021. A continuidade do processo seletivo será sempre publicada neste espaço. 

Leituras recomendadas
1) Freitas, S., Gorenstein, C., & Appolinario, J. C. (2002). Instrumentos para a avaliação dos transtornos alimentares. Brazilian Journal of Psychiatry, 24, 34-38. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1516-44462002000700008&script=sci_arttext&tlng=pt
2) Morgan, C. M., Vecchiatti, I. R., & Negrão, A. B. (2002). Etiologia dos transtornos alimentares: aspectos biológicos, psicológicos e sócio-culturais. Brazilian Journal of Psychiatry, 24, 18-23. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbp/v24s3/13966.pdf
3) Robison, J. (2005). Health at every size: toward a new paradigm of weight and health. Medscape General Medicine, 7(3), 13.Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC1681635/
4) Lattimore, P. (2020). Mindfulness-based emotional eating awareness training: taking the emotional out of eating. Eating and Weight Disorders-Studies on Anorexia, Bulimia and Obesity, 25(3), 649-657. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7256094/
5) Borowsky, H. M., Eisenberg, M. E., Bucchianeri, M. M., Piran, N., & Neumark-Sztainer, D. (2016). Feminist identity, body image, and disordered eating. Eating disorders, 24(4),297-311. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4999297/
6) Mouzinho, L., Costa, N., Alves, T., Silva, S., & Lima, L. D. (2018). Contribuições do mindfulness às condições médicas: uma revisão de literatura. Psicologia, Saúde & Doenças, 19(2), 182-196. Disponível em: http://www.scielo.mec.pt/pdf/psd/v19n2/v19n2a02.pdf

 


Receba novidades por email

Loading