O que é a Tireoide?

A tireoide é uma glândula com um formato que lembra uma borboleta e que fica localizada na parte anterior do pescoço, abraçando a traquéia. Ela produz hormônios que agem em nosso corpo.

Caso ocorra uma disfunção desses hormônios, o que pode acontecer?

Hipertireoidismo é o excesso de função da glândula tireoide. O hipertireoidismo é mais comum em mulheres do que em homens, com razão de 5:1. Os sintomas mais comuns do hipertireoidismo são: intolerância ao calor/sudorese, fraqueza, palpitação, ansiedade/irritabilidade, insônia, perda de peso, queda de cabelo e alteração no ciclo menstrual. 

Caso esteja tendo algum desses sintomas e não estiver com seus exames da tireoide em dia, busque auxílio médico. A Alimentas conta com uma médica na sua equipe, agende seu horário pelo brunapustai@gmail.com.

A busca por psicoterapia

Lidar com lutos, imprevistos e frustrações não é fácil e a maioria das pessoas acaba se
beneficiando com suporte psicológico em algum momento da vida. A procura por
psicoterapia é um investimento em saúde mental, qualidade de vida e na ampliação do
autoconhecimento.
Os atendimentos psicológicos seguem as normas éticas de confidencialidade e neles
psicólogo e paciente podem pensar juntos sobre as questões a serem trabalhadas, em um
ambiente de acolhimento e não julgamento. Através da terapia cognitivo
comportamental busca-se modificar pensamentos, sentimentos e comportamentos
disfuncionais, substituindo-os por condutas mais funcionais e adaptativas.
Apesar disso, atualmente algumas pessoas sentem receio ou vergonha de buscar
psicoterapia, por isso precisamos quebrar tais estigmas. Busca terapia quem deseja
cuidar de si, melhorar suas relações, se julgar menos, alcançar maior assertividade e
estar em paz consigo e com suas emoções. Olhar para dentro é um ato de coragem
recompensador, que nos conduz a relacionamentos mais leves e mais saudáveis.
A psicoterapia é indicada para pessoas de todas as idades que desejem se cuidar melhor.
Os objetivos e o tempo de atendimento variam conforme as demandas trazidas. Se você,
ou alguém que você conhece está buscando por psicoterapia, entre em contato conosco e
será um prazer lhe atender! Trabalhamos também com atendimentos sociais.


Referências:
MONDARDO, Anelise Hauschild; PIOVESAN, Laís; MANTOVANI, Paulina Cecilia. A
percepção do paciente quanto ao processo de mudança psicoterápica.
Aletheia, Canoas , n.
30, p. 158-171, dez. 2009 .
CANTELE, Juliana, ARPINI, Dorian Monica e ROSO, Adriane. A Psicologia no modelo atual
de atenção em saúde mental.
Psicologia: Ciência e Profissão [online]. 2012, v. 32, n. 4

Saúde Mental e Pandemia

Há dois anos vivemos em tempos de angústias e incertezas. É fato que cada um de nós é afetado pela pandemia de uma forma diferente, mas essas inseguranças nos abalam psicologicamente de forma ampla, que vão desde a insegurança financeira até a preocupação constante com a nossa saúde e dos nossos familiares. Inevitavelmente a saúde mental dos indivíduos entra nesse jogo de esperança por dias melhores que, muitas vezes, se transforma rapidamente em notícias não tão boas, como números altos de novas pessoas infectadas pelo vírus e o surgimento de novas variantes.
É esperado que, em situações de pandemia, as pessoas se sintam mais estressadas e preocupadas, o que acaba acarretando problemas na saúde mental que logo são percebidos e se mantém a longo prazo. Os principais fatores desencadeantes dos sintomas psicológicos são: medo da exposição e do contágio, medo do confinamento e isolamento social, e medo de novas medidas que nos forcem a fazer mudanças na rotina (como não poder se reunir com entes queridos ou começar a trabalhar remotamente, por exemplo). Também é importante mencionar que as pessoas que sofreram perdas de renda relatam uma piora na saúde psicológica.
Segundo estudos realizados no mundo inteiro, o impacto da pandemia de Covid-19 na saúde da população têm maior potencial para causar prejuízos na saúde mental do que na saúde física. Os principais problemas psicológicos causados ou agravados pela pandemia são:
          1. Ansiedade;
          2. Depressão;
          3. Estresse;
          4. Insônia.
Ao passar por momentos complicados como este em que vivemos, muitas pessoas utilizam estratégias disfuncionais para lidar com o estresse, como o excesso de comida, álcool e outras drogas, que trazem uma sensação de alívio imediato. Por isso, é importante que possamos apoiar uns aos outros e procurar estratégias mais eficientes para lidar com o sofrimento, buscando por serviços de saúde mental.
Atualmente vivemos em uma realidade que tenta a todo o momento voltar ao “normal”. No Brasil, após as campanhas de vacinação, já foram liberadas diversas atividades e locais que estavam fechados e proibidos para evitar maior contágio, o que novamente muda nossas rotinas e modos de viver. No entanto, seguimos ameaçados por novas variantes e novos surtos da doença. Por isso, estamos ainda muito expostos a estressores que podem nos abalar e causar sintomas psicológicos nocivos à saúde. Ou seja, é de extrema importância que possamos priorizar nossa saúde mental e procurar ajuda profissional se sentirmos necessidade, evitando maiores prejuízos futuramente.

A saúde mental exige atenção, principalmente nesse período de tantas mudanças, porém, sabemos que nem sempre esse tipo de atendimento é acessível a todos.
Você sabia que a Alimentas conta com atendimento psicológico social? 
Entre em contato conosco e agende seu horário.

REFERÊNCIAS

LOBO, Larissa Aline Carneiro; RIETH, Carmen Esther. Saúde mental e Covid-19: uma revisão integrativa da literatura. Saúde em debate, v. 45, p. 885-901, 2021.

Nutrição e Saúde mental

Quando se fala sobre saúde mental, podemos pensar na ausência das doenças mentais. Mas além disso, a saúde mental pode ser definida como a capacidade de lidar com emoções e situações diversas da vida de forma equilibrada. Saber manejar conflitos, traumas e experiências, convivendo bem consigo mesmo e com os outros.

Mas no que a nutrição pode se relacionar com a saúde mental? No primeiro aspecto da saúde mental, o da ausência de doenças mentais, pode-se dizer que cada vez mais são realizados estudos relacionando uma boa nutrição com a prevenção de doenças mentais como depressão (como já postado aqui no site em https://alimentas.com.br/nutricao-e-depressao/ e https://alimentas.com.br/nutricao-e-depressao-parte-2/).

A revista The Lancet Psychiatry, em 2015 discorreu sobre a importância da nutrição na prevalência e incidência dos transtornos mentais, afirmando que a alimentação é tão importante para a área da psiquiatria, como para as áreas da endocrinologia e cardiologia, por exemplo.

A alimentação é importante neste quesito pois a manutenção das funções cerebrais depende de uma boa nutrição, portanto quando há deficiência no consumo de nutrientes, o corpo pode sofrer disfunções fisiológicas e emocionais. De acordo com alguns especialistas, a falta de nutrientes necessários para que o cérebro funcione corretamente tem levado a processos inflamatórios no sistema nervoso, o que pode gerar a morte de neurônios, facilitando o aparecimento de distúrbios mentais.

Já para além das doenças mentais, a nutrição também pode auxiliar na saúde mental de outras formas.

Garantir a Segurança Alimentar e Nutricional (direito de todos ao acesso regular e permanente a alimentos de qualidade, em quantidade suficiente), por exemplo, é um aspecto significativo para manutenção da saúde mental, visto que sem o acesso à uma alimentação adequada e saudável, seja por questões sociodemográficas ou outras, pode comprometer a saúde mental dos indivíduos.

A nutrição está muito ligada ao ato de cozinhar, e este para muitos é uma atividade terapêutica. Para muitas pessoas existe uma relação emocional no preparo dos alimentos, seja por ter lembranças da infância ou por aprender a cozinhar e ganhar autonomia. Para alguns, preparar os alimentos é um ato de carinho direcionado para a família, sendo a hora de cozinhar quase que um momento de meditação, onde se pode esquecer das preocupações do dia a dia.

Além disso, alimentar-se também pode ser visto como um ato de autocuidado. Quando escolhemos o que queremos comer estamos nos permitindo dar ao nosso corpo o que ele necessita, seja quando escolhemos alimentos altamente nutritivos, que nos ajudam a sentir bem fisicamente, ou quando escolhemos nos acolher com algum alimento que tenha um significado de aconchego.

Por fim, a nutrição pode influenciar de outras diversas formas a saúde mental das pessoas, percebendo-se então a importância que a nutrição tem na área da psiquiatria e psicologia.

Referências:

[1] Nutritional psychiatry: Your brain on food. HARVARD HEALTH BLOG, March 26, 2020. Disponível em:

[2] Psiquiatria nutricional – nutrição e saúde mental, 20/08/2021. Disponível em:

[3] Nutrição e saúde mental: saiba mais sobre o impacto da alimentação em favor do bem-estar, Março/2021. Disponível em:

[4] Ciência estuda a relação entre alimentação e saúde mental, 19/05/2021. Disponível em:

Feminismo

Apesar das inúmeras transformações que envolvem o século 21, segue sendo essencial conversarmos sobre feminismo. O movimento feminista preza por direitos iguais e pela valorização das mulheres, que por muito tempo foram culturalmente subjugadas e consideradas como “sexo frágil”.

Ainda hoje percebemos desigualdades, mesmo veladas no cotidiano, como:

O fato de diversas mulheres receberem remunerações menores quando comparado com homens que exercem funções similares;

Mulheres não raro acabam sendo alvo de comentários depreciativos, ou piadas de cunho sexual;

Há excessiva cobrança por ideais de beleza inalcançáveis, aliado ao julgamento social;

É comum mulheres que mulheres se sintam sobrecarregadas por cuidarem da casa e filhos.

O feminismo é uma causa muito importante e contribui para um mundo melhor e mais justo!

Deseja saber mais a respeito? Então te aguardamos dia 22/01/2022 no curso online: Feminismo, Nutrição e Perspectivas em Saúde.

 

Referência: SOUZA, D. L. R.; ARAÚJO, J. A. L. Feminismo contemporâneo: as mídias sociais como ferramentas de resistência. Universidade Federal de Uberlândia, 2018. Disponível em: https://eventos.ufu.br/sites/eventos.ufu.br/files/documentos/delles_de_lean_rodrigues_de_sousa.pdf